Pe. José Calvi, Servo de Deus

O Pe. José Calvi nasceu em Cortemilia, Itália, no dia 01 de maio de 1901, filho de João Calvi e Madalena Lustrini, viveu a sua infância numa família bastante pobre mas de bons princípio católicos. Testemunhará sobre o ainda adolescente José, o seu pároco, Pe. Vacchetto que muito bem o conhecia: “Conheci-o na idade de 11 anos e dele não recordo nenhum defeito. Era sempre dócil, calmo e sorridente. No catecismo era muito assíduo, atento e estudioso…”
Aos 14 anos entrou no seminário da Congregação dos Oblatos de São José em Asti – Itália, onde no dia 26 de julho de 1926 foi ordenado sacerdote e pouco mais de dois meses partia para o Brasil como missionário onde trabalhará em Curitiba e Paranaguá, mas logo no início de 1928, acometido de tuberculose será internado no Sanatório São Sebastião da cidade de Lapa – PR. Ali será um apóstolo entre os tuberculosos, pois seu zelo pelas almas era tão grande que a despeito de seu estado de fraqueza, não deixava de assistir aos doentes em agonia, ainda que fosse nas horas mais avançadas da noite. Tomado pela doença e debilitado ao extremo, não deixava de ir à capela todos os dias e isto o fará até o último dia de sua vida, para receber a comunhão, até que no dia 26 de setembro de 1943 veio a falecer serenamente.

Ainda hoje, depois de décadas de sua morte, o seu túmulo no cemitério da Água Verde em Curitiba é objeto de visita por parte de inúmeras pessoas que ouvindo falar de sua fama de santidade, acorrem frequentemente lá para rezar, acender velas e pedir-lhe graças. No Brasil encontram-se pessoas que o conheceram pessoalmente ou que trabalharam com ele no Sanatório e dele dão testemunhos emocionantes sobre sua vida e santidade. O ex-superior geral dos Oblatos de São José testemunha que ouviu não apenas dos confrades de Pe. Calvi mas também do povo, a declaração de que ele era realmente um santo e que viajando pelo Paraná aconteceu encontrar pessoas que tendo-o conhecido recordava-o como um santo. Da mesma forma um outro ex-superior geral dos Oblatos de São José, Pe. Luigi Garberoglio, o qual também foi por muitos anos foi o diretor espiritual declarou-o, a exemplo de inumeráveis testemunhas, que era convicto de que ele tinha levado consigo para o túmulo a inocência batismal e de que esta convicção ele a tinha justamente porque o conheceu intimamente.

Seu processo de beatificação encontra-se em andamento na arquidiocese de Curitiba e todos que desejarem obter maiores informações sobre a sua vida ou que receberem graças de Deus mediante sua intercessão podem se comunicar ao endereço: Rua São Paulo, 951 – Caixa Postal 720 – CEP 86.808.070 –Apucarana – PR.
Ou pelo e-mail: pebertolin@net21.com.br

Oração pela Canonização de Pe. José Calvi.

“Glorificai, Senhor, o vosso Servo que, com a palavra, o exemplo, a caridade pastoral para com os jovens e os doentes, zelou pela glória do Vosso Nome e pela salvação das pessoas”.

Cronologia

01/05/1901 – Nasce em Cortemilia (Diocese de Alba, Província de Cuneo), de Giovanni e Lustrini Maddalena.
07/05/1901 – É batizado em Cortemilia, na Paróquia de São Pantaleão.
21/09/1910 – É crismado na Paróquia de São Pantaleão.
12/09/1914 – Entra na Congregação; tinha cursado o 5º ano Primário.
1914-1915 – Cursa o 1° ano ginasial em Asti.
20/07/1915 – Recebe a veste religiosa em Asti.
1915-1917 – Cursa o 2° e o 3° ano ginasial em Oleggio; em seguida transfere-se para Trecate para começar o 4° ano, mas devido a guerra, lhe foi antecipado o Noviciado, com a dispensa da Santa Sé, na data de 24/10/1917.
01/11/1917 – Inicia o Noviciado em Asti, durante o 2° ano deste, cursa o 4° ano ginasial (1918-1919).
01/10/1919 – Emite a primeira profissão em Asti.
1919-1920 – No lugar de cursar o 5° ano ginasial, por motivos de saúde, é enviado para Roma onde desempenha as funções de Sacristão; permanece em Roma de 07/10/1919 a 16/08/1920.
1920-1923 – Cursa regularmente os 3 anos de filosofia em Asti. Por motivo de saúde é dispensado de algumas matérias secundárias; ajuda um pouco como Sacristão.
1923-1926 – Cursa o 1°, 2° e 3° ano de Teologia em Asti.
1923 – Depois de alguns anos de exames, torna-se hábil para o serviço militar, sendo admitido atrasado como aluno missionário.
05/10/1925 – Emite a profissão perpétua em Asti, já atrasado, devido as obrigações militares.
8, 9 e 12/03/1926 – Recebe a Tonsura e as Ordens Menores no Seminário de Asti.
20/03/1926 – Recebe o Subdiaconato no Seminário de Asti.
9/04/1926 – Recebe o Diaconato no mesmo Seminário.
29/05/1926 – Recebe o Presbiterato na Catedral de Asti, com dispensa da Congregação dos Religiosos (Rescrito 7280/25 del 26/11/1925) para ser ordenado ´expleto tertio anno´.
16/09/1926 – Parte para o Brasil onde cursa privadamente o 4° ano de Teologia, recebendo as aulas de um Pe.Franciscano; reside em Curitiba no Abrigo dos Menores.
1928 – Devido a doença que se manifesta, transfere-se para o Sanatório de São Sebastião da Lapa.
De 1929 a 1933 – Retorna junto aos confrades, torna-se Coadjutor da Paróquia de Paranaguá.
De 1933 a 1936 – É Coadjutor na Água Verde, Curitiba.
De 1933 a 1938 – É também o 2° Conselheiro da Missão.
04/01/1936 – Recai doente novamente, volta para o Sanatório de Lapa onde desempenha ali, também as funções de capelão.
26/09/1943 – Morre no Sanatório de Lapa, assistido por Pe. Natale Brusasco. A notícia chega em Asti somente em 10/09/1944 mediante um comunicado proveniente de Teggiano.