PE. JOSÉ CALVI

Foto Padre José Calvi

 

Prezados Confrades e Leigos

Escrevo-lhes justamente no dia em que o papa Francisco canonizou madre Tereza de Calcutá, um exemplo de religiosa que dedicou toda a sua vida em favor dos doentes e dos pobres; ao mesmo tempo vem espontaneamente a lembrança de nosso Servo de Deus Pe. José Calvi que foi um exemplo de religioso que com a sua humildade e grande amor também dedicou a sua vida em favor dos doentes durante todo o seu ministério, particularmente no Sanatório da Lapa.

O mês de setembro é referencial para nós quanto ao empenho que assumimos para divulgar a pessoa e o exemplo deste nosso confrade, Servo de Deus, que completará 73 anos de sua morte no próximo dia 26 deste mês. Não devemos nos esquecer de que o prosseguimento do seu processo de canonização, agora já na fase romana, dependerá muito de cada um de nós Oblatos e seus confrades. Como sabemos a elevação de um santo à glória dos altares é sempre desígnio de Deus, mas este está ligado aos esforços que se faz para que o candidato aos cânones da santidade seja mais conhecido pelo povo de Deus e dessa maneira seja invocada a sua intercessão para que particularmente por meio dela Deus opere um milagre reconhecido pela Igreja.

Queremos lembrar aos confrades de todas as nossas províncias, delegações e missões que se empenhem na tarefa da divulgação do Servo de Deus José Calvi incentivando aos fiéis a nós confiados para que não apenas conheçam a sua vida, mas que sobretudo rezem a Deus pela sua canonização. Há uma série de sugestões oferecidas para esta finalidade e que certamente está à disposição de todos, e sugiro que cada confrade assuma como empenho pessoal esta tarefa indispensável para que possamos o quanto antes ter a alegria de ver nosso confrade reconhecido à glória da santidade canônica assim como hoje, 4 de setembro, as religiosas da Congregação Missionárias da caridade têm a alegria de ver sua fundadora. A canonização de madre Tereza foi possível graças a um milagre que envolveu o brasileiro Marcílio Haddad Andrino, morador da cidade de Santos (SP), o qual foi diagnosticado com hidrocefalia e uma infecção rara no cérebro, mas curado após sua esposa rezar pedindo a intercessão de madre Tereza.

Se para a nova santa, nas palavras do papa Francisco, “a misericórdia era o sal que dava sabor ao seu trabalho e a luz que iluminava a escuridão de muitos que não tinham lágrimas para derramar diante de sua pobreza e sofrimento”, o mesmo podemos atribuir ao nosso Servo de Deus que incansavelmente se dedicou aos pobres e doentes, merecendo já aqui na terra o título de santo. Portanto, não deixemos desperdiçada a oportunidade em que lembraremos os seus 73 anos de falecimento para assumirmos com mais intensidade a tarefa de empenharmos para a sua canonização, primeiro entre nós e nossos formandos conhecendo melhor a sua pessoa e rezando em comunidade pela sua canonização e depois junto aos nossos leigos para que rezando pela sua canonização seja obtido por meio de sua intercessão um milagre.

 

Apucarana, 4 de setembro de 2016

Pe. José Antonio Bertolin, OSJ