Apostolado dos Leigos Josefino Marelliano

Os cuidados com os interesses de Jesus
no quotidiano da vida

Tomando inspiração do ideal do Fundador, que quis unir leigos, clérigos e consagrados na escolha dos interesses de Jesus, como primeira finalidade de sua vida espiritual e apostólica; e iluminada pela eclesiologia de comunhão que deriva do Concílio Vaticano II, propõe a todos os membros do povo de Deus o carisma e a espiritualidade de São José Marello, como dom eclesial suscitado pelo Espírito para o bem de todos os fiéis. Nesta linha, ela chama os fiéis, que a Providência confiou aos seus cuidados pastorais, para fazer parte da Família Josefino-Marelliana, formada pelos Oblatos, pelas Oblatas e pelos Leigos amantes de um ideal de perfeição cristã no mundo.

De maneira muito especial, a Congregação oferece aos membros leigos desta Família aquilo que ela possui de mais precioso:

- a própria realidade de “dom de Deus à Igreja”, que a torna, para todos aqueles que a ela se conformam, em diversos níveis, um caminho de santidade oficialmente reconhecido;

  • a participação nos benefícios espirituais e apostólicos da Congregação;
  • a participação nas indulgências que a Igreja concede aos membros da Congregação, nas formas que a autoridade eclesiástica competente determinará;
  • as formas próprias de oração: particular e litúrgica, pessoal e comunitária, com atos, devoções e calendário litúrgico próprios;
  • a partilha fraterna das responsabilidades pastorais, formativas, organizativas, etc., segundo as necessidades dos lugares e dos ambientes e a competência específica de cada qual.

Ainda me lembro daquele Domingo de 1982. Alguns dias antes Pe. Mário Tésio, nosso Superior, reuniu-nos e pediu que déssemos apoio para a reunião com os Leigos que aconteceria no Domingo seguinte. Éramos Freis, estudantes de Filosofia e Teologia.

No Domingo, desde a manhã, a casa ficou cheia de gente. Leigos que conhecíamos do bairro do Xaxim, e outros que ainda não conhecíamos direito, do Portão. Alguns Padres e nós Freis. Muita gente. A capela ficou cheia, a sala, que por ter algumas paredes compostas de vidro chamávamos de “aquário”, ficou também cheia. O lanche foi farto. Outro dia eu vi a fotografia deste encontro. Ela está em uma gaveta, em alguma escrivaninha, mas está publicada em um ou dois periódicos da Congregação.

Eram os Leigos que se reuniam sob o convite do Padre Tésio e que se chamariam “Fraternidade Josefina”. Durante anos este grupo foi presença e realidade que unia as duas Paróquias que tínhamos em Curitiba, mais o Colégio Bagozzi e o Seminário Maior Dom José Marello. Depois esta Fraternidade se expandiu e foi para outras cidades. Assumiu grupos devocionais que já existiam e foi crescendo e fazendo história.

Anos depois ela se tornou “Fraternidade de São José”. Alguns Confrades Oblatos foram muito importantes nesta caminhada, como Pe. José Antonio Bertolin, Pe. Giovanni Battista Erittu, Pe. Eurico Dedino, Pe. Alfeu Leônidas Teodoro, Pe. Antonio Ramos de Moura Neto. E outros também. Freis e Irmãos colaboraram. Alguns Leigos se destacaram e durante anos foram referência nestas comunidades de Fé.

De fato, este caminho deve ser feito pelos Leigos, fiéis que se encantam com o carisma de São José Marello. Eles tiveram vários nomes nestas décadas. Hoje podem ser chamados, com o L e i g o s Oblatos de São José nome de “Leigos Oblatos de São José”, deixando à mostra uma realidade: Oblatos de São José existem de “vários tipos”: Irmãos, Padres, Irmãs e Leigos. Todos bebem da mesma fonte, têm a mesma referência, buscam as mesmas virtudes.

A sociedade precisa de modelos de Fé e de caminhos de Espiritualidade. Na “selva” de propostas, a nossa é válida e segura. Os interesses de Jesus e o escondimento, vividos no quotidiano da vida profissional, social, política, educativa, religiosa e, sobretudo, familiar, são os caminhos que propomos hoje.

Claro, aquele encontro de fundação da “Fraternidade de São José” foi em 1982 e muita coisa aconteceu desde então. Agora os tempos mudaram, os empenhos, os líderes. Alguns Leigos ainda estão presentes, atuantes, generosos. Houve Leigos que foram ao exterior apresentar um testemunho e uma experiência. Mas o caminho ainda está para ser feito, dia após dia. A Espiritualidade dos Oblatos de São José, que São José Marello propõe e que muitos já viveram e vivem, é uma estrada segura de encontro com Deus.

Não posso deixar de recordar a existência dos Estatutos dos Leigos Oblatos de São José. Um trabalho bem feito, com a participação de muitos Leigos, prevendo e antecipando a própria existência dos Leigos Oblatos.

Contribuição decisiva para a formação constante dos Leigos Oblatos de São José é a publicação mensal “Semente de São José”, que o Centro de Espiritualidade Josefina de Apucarana oferece há anos. Com as “Sementes” este caderno é um oferecimento a todos os fiéis que acreditam que São José Marello é um caminho de Santidade para todos os que creem.

 

 

Pe. Mauro Negro, OSJ
Oblato Assessor dos Leigos Oblatos de São José
Centro de Espiritualidade Josefina, Apucarana

Comentários estão fechados.