9 coisas que os santos ensinam sobre a vida de oração

O testemunho de vida dos santos tem muito a nos ensinar sobre a fé, a caridade, a confiança e o amor a Deus. Mas não apenas isso, também os escritos dos santos são verdadeiras palavras de sabedoria sobre muitos assuntos relacionados à espiritualidade cristã e a vida de oração.

Pensando em quanto a experiência espiritual desses que já ocupam seu lugar no céu pode nos ajudar, separamos 9 frases de diferentes santos. Vamos aprender com eles a importância e o amor que devemos ter pela vida de oração.

1. Com a oração abrimos as portas da Misericórdia Divina

São José Marello, fundador da Congregação dos Oblatos de São José, estimulava a todos à oração pois a tinha como o meio mais poderoso para atrair sobre nós o olhar misericordioso de Deus. Em um de seus conhecidos escritos, ele anotou:

“A comunhão da oração, depois da Eucaristia, é o ponto de fé mais consolador da oração do Credo. Todos os demais nos fazem temer: este, ao contrário, coloca em nossas mãos um meio poderoso para fazer violência, por assim dizer, à misericórdia de Deus” (São José Marello).

Ele quis nos ensinar que a oração tem tanta força que de maneira quase que violenta chega até Deus e nos alcança a Sua misericórdia.

2. A oração traz fervor à nossa espiritualidade

O mesmo São José Marello ainda nos ensina que devemos ser perseverantes na vida de oração, principalmente quando não encontramos vontade de rezar. Sua experiência lhe permitiu saber que é o próprio Deus quem nos ensina a amá-Lo fervorosamente, mas  para isso é necessário ter vida oração.

“Rezemos muito e de coração, rezemos mesmo sem sentir gosto, rezemos inclusive na aridez de espírito! Rezemos ao bom Deus para que nos ensine a amá-Lo e que ponha, finalmente, um termo à nossa falta de fervor” (São José Marello).

Apenas a oração pode nos fazer fervorosos na fé!

3. A oração nos torna merecedores das graças divinas

São Gregório sabia que a única coisa que pode nos tornar merecedores das graças, do amor e da Misericórdia de Deus é a oração. Por isso, ele nos deixou esta preciosa indicação:

“Os homens, com a oração, merecem receber aquilo que Deus onipotente desde a eternidade decidiu dar-lhes” (São Gregório).

Ou seja, quando não rezamos deixamos de receber as graças que o Senhor deseja nos conceder.

4. Da vida de oração depende tudo o que precisamos

Santo Afonso de Ligório nos ensina que se não tivermos vida de oração é impossível nos configurarmos a Cristo, é impossível alcançarmos a salvação. Assim ele escreveu em uma de suas obras:

“É preciso que nos convençamos de que da oração depende todo o nosso bem. Da oração depende a nossa mudança de vida, o vencer as tentações; dela depende conseguirmos o amor de Deus, a perfeição, a perseverança e a salvação eterna” (Santo Afonso de Ligório).

Esse santo teve a comprovação de que apenas a oração é capaz de transformar nossas vidas.

5. Não há no mundo alguém que seja desobrigado da vida de oração

Santa Faustina Kowalska, apóstola da Divina Misericórdia, teve uma forte experiência mística com Jesus Misericordioso, com a Virgem Maria, com alguns santos e anjos. 

No seu Diário espiritual encontramos as revelações de Jesus sobre a devoção à Divina Misericórdia e também os traços da sua vida de oração.  

Em uma de suas anotações ela fala sobre a obrigação que todo ser humano tem da oração, independentemente da sua condição. Vejamos a sua explicação:

“Tem que rezar a alma pura e bela, porque de outra forma perderia a sua beleza; reze a alma que está buscando essa pureza, porque de outra forma não a atingiria; deve rezar a alma recém-convertida, porque de outra forma cairia novamente; deve rezar a alma pecadora, atolada em pecados, para que possa levantar-se. E não existe uma só alma que não tenha a obrigação de rezar, porque toda graça provém da oração” (Santa Faustina Kowalska).

Se desejamos ser perseverantes na oração, devemos rezar!

6. A oração é um gesto concreto de amor a Deus

Santa Teresa de Lisieux, também conhecida como Santa Teresinha do Menino Jesus, foi a menina mais jovem a entrar para a vida religiosa. Com apenas 15 anos ela foi admitida no Carmelo e faleceu ainda na flor da juventude aos 24 anos. 

Sua autobiografia – a História de uma alma – apresenta muitos ensinamentos sobre a santidade e a vida de oração. Ela disse:

“Para mim, a oração é uma elevação do coração, um singelo olhar para o Céu, um clamor de gratidão, o amor no meio da provação e da alegria” (Santa Teresa de Lisieux).

Para ela, orar é amar!

7. A oração nos revela o quanto necessitamos de Deus para a nossa salvação

São Tomás de Aquino é um importante Doutor da Igreja que escreveu muitas obras, entre elas sobre os conflitos entre a fé e a razão. 

Como todo santo, Tomás de Aquino tinha uma fervorosa vida de oração e registrou nos seus escritos algumas importantes indicações sobre a necessidade que temos de rezar. Ele nos adverte:

“A oração é necessária não para que Deus conheça as nossas necessidades, mas para que nós fiquemos conhecendo a necessidade que temos de recorrer a Deus, para receber oportunamente os socorros da salvação” (Santo Tomás de Aquino).

8. Quem deseja ser útil a Igreja deve ter vida de oração

Não importa para qual  vocação somos chamados – leiga, consagrada, religiosa, sacerdotal, matrimonial – cada uma tem seu papel e sua importância na vida da Igreja. No entanto, Santa Teresinha nos traz mais um ensinamento necessário:

“É pela oração e pelo sacrifício somente que somos úteis à Igreja” (Santa Teresinha).

Portanto, se queremos ser verdadeiramente úteis no serviço à Igreja é necessário nutrir nossa vida de oração.

9. Há diferentes maneiras de se rezar

Protetor das coisas perdidas, dos casamentos e dos pobres, Santo Antônio também tem muito a nos ensinar sobre a vida de oração. Ele abre nossa mente para o fato de que não rezamos apenas com palavras. Veja o que ele disse:

“Podemos rezar de três modos: com o coração, com a boca e com as mãos” (Santo Antônio).

Ele nos ensina que além da oração que pronunciamos com palavras, o simples pensar em Deus com amor é oração. A partir da sua compreensão, também o nosso agir em favor dos irmãos é uma maneira de rezar.

Agora, que tal colocar em prática esses ensinamentos sobre a vida de oração? Torne a oração um hábito em sua vida e experimente o que melhor pode acontecer na sua espiritualidade.

Compartilhe esses ensinamentos. Chame seus amigos para fazer esta leitura!

1 thought on “9 coisas que os santos ensinam sobre a vida de oração”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *