Santuário de Guadalupe, em Ourinhos (SP), celebra o dia de Nossa Senhora Aparecida com muita alegria e fervor

A Igreja estava cheia de fiéis pedindo bençãos a Deus e a intercessão da Virgem Maria em suas orações

O texto é da Coordenação Pascom Santuário Nossa Senhora de Guadalupe – Juliana Neves. Confira na íntegra:

Dia 12 de outubro é a data que os católicos celebram a Solenidade de Nossa Senhora Aparecida, a Rainha e Padroeira do Brasil. Uma história que começou lá em 1717, quando a Virgem Maria apareceu em imagem aos pescadores com um significado todo especial. E é claro que no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, em Ourinhos-SP, não passaria em branco esta data tão importante para nós, os cristãos.

A Igreja estava com o presbitério decorado com um espaço especial para a imagem de Nossa Senhora Aparecida, com flores e um barco que simbolizou como foi a aparição da Virgem Maria. Todos os Ministros da Eucaristia e Coroinhas e Acólitos entraram com a equipe de celebração e as leituras foram realizadas pelos adolescentes da Catequese/Crisma. A Santa Missa foi presidida pelo Padre Pároco Bennelson da Silva Barbosa, às 15h.

Produção de responsabilidade da equipe de Liturgia para a Solenidade. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe.

Vale ressaltar que foi montada uma loja específica com venda de produtos religiosos infantis, espécie de uma feirinha em um dos espaços do Santuário. Estava à venda almofadas infantis de Nossa Senhora Aparecida, São José, Santo Anjo e Nossa Senhora Guadalupe, além de canecas da titulação de Guadalupe em modelo adulto e infantil. Foi sucesso!

Reginaldo é o leigo que ajudou nas vendas dos produtos. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe.

Santa Missa

A Missa foi iniciada, como de costume, com um comentário de protocolo de acolhida ao povo e por uma leitura diferenciada que indicava a importância da data. Com a entrada de todos os integrantes da equipe de celebração, o padre saldou a assembleia e promoveu a entrada da imagem de Aparecida ao som da música “Mãe do Céu Morena”. Um momento que fez todos que estavam no local, que por sinal a Igreja lotou, se sentirem emocionados na presença Deus com a intercessão de Maria.

Depois, os momentos da Missa se seguiram normalmente, até que, logo após a Proclamação do Evangelho, as crianças da Catequese e da Pastoral dos Coroinhas fizeram uma encenação sobre a história da aparição de Nossa Senhora de Aparecida.


As crianças em ação, momento da encenação. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe

Os pequenos encenaram com tanta delicadeza e com ricos detalhes cada pedacinho da história que não teve quem não se encantou. Uma singela e simples produção carregada de significado e importância para toda a sociedade.

A encenação foi finalizada com a oração Ave Maria e com um “Viva a Nossa Senhora Aparecida”. O padre, Bennelson, começou a cantar “Nossa Senhora, me dê a mão, cuida do meu coração, da minha vida, do meu destino” junto com a comunidade.

Logo depois, veio a homilia. Perante as liturgias do dia, o padre enfatizou na frase da Virgem Maria: “Fazei tudo o que ele vos disser”. Algo que nos indica qual é o nosso caminho para enfrentar os dragões da vida. “Não é para desviar do olhar de Cristo, isto nos faz perder o brilho e vem o desânimo”, falou o padre Bennelson.

Padre Bennelson durante a sua homilia. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe

Sobre a encenação do dia, o pároco comentou que as crianças souberam transmitir a mensagem de que o amor de Deus nos resgata em meio a tantas turbulências e situações vazios em nossa vida.

O amor de Deus nos proporciona esperança e ardor. Sendo assim, como o padre disse na homilia, a aparição de Nossa Senhora Aparecida representa o poder de Deus em juntar o que está quebrado em nós, nos restaura. Por isso, devemos pedir a proteção de Deus para com as nossas crianças, que Maria, nossa mãe, interceda para que o mal se afaste dos pequenos.

Para finalizar, houve um momento orante de olhos fechados. Cada pessoa foi estimulada a fazer a sua oração pessoal pedindo a intercessão de Nossa Senhora Aparecida, e o padre orou em comunhão aos pedidos da assembleia. Nesse momento, os músicos iniciaram a música “Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida”. Mais uma ocasião da Santa Missa que alimentou a nossa espiritualidade e aperfeiçoou a intimidade com Deus.

No ofertório, foi feita uma entrada de um pão, uvas e de um suco de uva para representar o vinho. Uma simbologia em harmonia com a liturgia do dia, com o Evangelho da festa de Solenidade da titulação Aparecida. Bem como, a apresentação, com uso de placas, de 12 virtudes da Virgem Maria e 12 botões de rosas. Desejamos que as virtudes sejam inspiração para nosso o cotidiano e cada rosa representou as nossas orações de intercessões à mãezinha do céu.

Toda a simbologia em comum acordo com o dia de Nossa Senhora Aparecida. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe.

Como toda Missa Solene, a Oração Eucarística foi cantada, o que fez o povo se envolver por completo por cada parte da Consagração da Eucaristia. Em cada música que remetia à Virgem Maria ou a sua titulação brasileira, o povo cantava com fervor e com esperança de dias melhores.

Ao fim, após a Comunhão, o padre Bennelson fez uma benção especial para as crianças e dispersou água benta em todos que estavam presentes. E mais uma vez reforçamos a nossa consagração à Virgem Maria, na titulação de Aparecida e Guadalupe, com a música “Consagro a vós meus olhos, meus ouvidos, minha boca. Tudo o que sou, desejo que a vós pertença. Incomparável mãe, guardai-me e defendei-me, como filho (a) e propriedade vossa, Amém”.

Uma benção muitas crianças reunidas na Santa Missa. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe.

Festa Dia das Crianças

Para comemorar o dia especial dos nossos pequenos, posteriormente foi realizada uma Festa no pátio, salão e garagem do Seminário. Todas as famílias compartilharam de um período de lazer com comes e bebes, cada um trouxe de suas casas.

Além da alimentação particular produzida para as crianças: cachorro-quente, sorvete, bolos, doces e tantas outras delícias. E ficou por conta do grupo de jovens, Os Garimpeiros, ao lado do padre Bennelson a animação de brincadeiras e atividades.

Comunidade reunida em prol da comemoração das crianças e celebração de Aparecida. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe.

Não teve uma criança nem adulto que não se divertiu com as dinâmicas de muita alegria e felicidade coordenada pelo padre. Ao som de diversas músicas, o que foi vivenciado no fim de tarde, com toda certeza, está guardado na memória e no coração de cada um o dia 12 de outubro de 2022.

“O dia de hoje foi preparado com muito carinho. Realizamos uma Santa Missa fervorosa, um dia de pedir bençãos e solicitar pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida pelos nossos pedidos pessoais e pelo nosso Brasil. Alegria e gratidão são os sentimentos sinônimos do que vivemos neste 12 de outubro. E cada leigo que colaborou na organização, seja da Missa ou da festa, fica o meu agradecimento. Esta Santa Missa marcou um novo tempo em nosso Santuário. Está constado que somos cheios do Espírito Santo e que Deus está conosco, em nossa vida”, finaliza o pároco Bennelson da Silva Barbosa.

Criançada em atividade com o padre Bennelson, na garagem do Seminário. Crédito: Pascom Santuário Guadalupe.

Nossa Senhora Aparecida

Lá em 1717, pescadores foram até o rio Paraíba do Sul pela ordem de Pedro Miguel Almeida Portugal e Vasconcelos, o governante da capitania de São Paulo e Minas de Ouro. O pedido era para pescar peixes para a produção de um jantar.

Quando estavam quase indo embora, resolveram soltar a rede mais uma vez, afinal, não haviam conseguido pescar nenhum animal. Foi quando veio a imagem da Virgem Maria sem a cabeça, somente o corpo. Com mais um lançamento da rede, foi pescada a cabeça da imagem e muitos peixes.

A imagem foi guardada em um manto e depois exposta em uma casa da cidade. A devoção cresceu e havia relatos de milagres. Até que ergueram uma capela. Em 1834, iniciaram a construção da Igreja Maior, Basílica Velha de Aparecida, e inaugurada em 1888.

Já no dia 16 de julho de 1930, Nossa Senhora Aparecida foi proclamada Rainha e Padroeira do Brasil por Papa Pio 11. Em 1946, começou a construção de um Santuário, sua inauguração foi em 1980. Papa João Paulo II consagrou como Basílica e Santuário Nacional. Por fim, em 2016, Papa Francisco elevou à Catedral da Arquidiocese de Aparecida.

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *